Coarctação da Aorta

coarctação da aorta prof dr edmo atique gabriel cirurgiao cardiovascular e cardiologista em sao paulo rio de janeiro e brasilia

Não é de hoje que sabemos que nosso corpo dá sinais quando há alguma coisa errada. Exemplo disso é a nossa dor de cabeça, que para muitos é somente  falta de hidratação, já outros pode se tratar de assuntos mais sérios, como um aneurisma. O problema é quando existe uma doença e nosso corpo omite  qualquer tipo de sinal. No texto a seguir o Prof. Dr. Edmo explica uma doença pouco conhecida, e que só “dá as caras’’ quando já está em crescente evolução. De maneira mais didática conheça agora Coarctação da Aorta a começar pela formação do coração.

Formação do Coração

No momento em que um espermatozoide se une ao óvulo, dá início a fecundação e a multiplicação celular, ou seja, é quando o óvulo fecundado se prende a parede do endométrio a formação do pequeno feto já está evoluída. O coração é o primeiro órgão do bebê que irá se desenvolver durante a gestação e ele é essencial para oferecer nutrientes e oxigênio para o embrião que está se desenvolvendo.

Na segunda semana de gestação, é possível escutar os primeiros batimentos cardíacos do bebê e é em seu desenvolvimento que algumas doenças podem vir a aparecer, se tornando um fator de risco para o feto. A mais comum e também a mais perigosa se chama Coarctação da Aorta.
A Coarctação da Aorta, apesar de ser é uma doença congênita (anomalia física que ocorrem antes do bebê nascer), pode passar despercebida na infância e ser diagnosticada apenas na idade adulta.

Hoje em dia, com o avanço da tecnologia medicinal podemos saber se o feto, ou o bebê já nascido apresentam a doença através de exames de imagem (tomografia e ecocardiograma).

Quando surgiu a Coartação da Aorta

Descrita em 1758 por Giovanni Battista Morgagni (1682-1771), as primeiras tentativas de classificar a doença foi feita por Bonnet em 1903 e tornou-se referência na área. Ele dividiu a coarctação da aorta em dois tipos de hipoplasia.

A Hipoplasia é o termo técnico que se refere à formação incompleta de uma estrutura ou órgão no corpo. No caso da Coarctação da Aorta, existe a proximal, classificada antes da idade adulta e a distal que é classificada até a velhice após a idade adulta. Ele é considerado hipoplásico quando seu diâmetro atinge 50% do diâmetro da aorta ascendente.

O Que é a Coarctação da Aorta?

Em um dos vídeos que fiz para as redes sociais falando sobre este assunto, pontuo de forma breve como essa artéria funciona, para que assim, fique mais claro de entender quando há alguma disfuncionalidade nela.

“A Aorta é a maior artéria do corpo humano, com diâmetro de 2 a 3 cm, possui quatro divisões principais que são a aorta ascendente, o arco da aorta, a aorta torácica e aorta abdominal. Esse conjunto forma o principal tronco das artérias sistêmicas.”

“Através dela, nosso sangue é filtrado, oxigênio, aquecido e distribuído para os outros órgãos do corpo, responsável pelas funções vitais para o funcionamento corporal. Um pequeno estreitamento logo após os canais que levam para o cérebro e braços causam uma redução no fluxo sanguíneo para a parte inferior do corpo”

Convido vocês a assistirem o vídeo, para isto, basta clicar no link abaixo.

Ver essa foto no Instagram

O Prof. Dr. Edmo explica em detalhes como funciona a Coarctação da Aorta em um vídeo. Dê o Play e Assista ▶ ⠀ 👨⚕️Sobre o Prof. Dr. Edmo É Livre Docente em Cirurgia Cardiovascular e contém experiência profissional como médico e cirurgião cardiovascular há mais de 10 anos realizando atendimento de adultos e crianças. Também desenvolve atividades consultoria em desenvolvimento de novos produtos cardiovasculares, gestor de clínicas e hospitais e pesquisador. Ganhou o Prêmio “Daher Cutait” pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões (2014) e também o Prêmio “Edward Dietrich” pelo Congresso Internacional de Cirurgia Endovascular (2007)

Uma publicação compartilhada por Prof. Dr. Edmo A. Gabriel (@edmoagabriel) em

Se há esse estreitamento logo abaixo das três artérias que levam o sangue para nossa parte superior, a parte prejudicada será nossos membros e órgãos inferiores (coluna vertebral, órgãos abdominais e pernas). Elas terão um fluxo sanguíneo e pressão arterial reduzida, comparativamente com os membros superiores, e assim sucessivamente. Logo, identificado o estreitamento é diagnosticado a Coarctação da Aorta.

A Coarctação da Aorta é Genética?


Pelo fato de ser uma doença congênita não é necessariamente de origem genética, e sim às vezes por uma anomalia cromossômica, malformação do feto ou dos genes constitutivos.
Uma doença congênita pode acontecer devido a uma intoxicação ou infecção, por exemplo.

Existe Diferença da Coarctação da Aorta pela Idade?

A formação do coração a princípio é igual para todos. A única diferença da doença entre as idades são a sua evolução, podendo assim se agravar somente na fase adulta. 

Coarctação da Aorta em recém-nascidos

Muitos recém-nascidos recebem alta das maternidades sem o diagnóstico estabelecido pela OMS e, entre uma e duas semanas, podem vir a retornar aos hospitais com insuficiência cardíaca complicada, às vezes potencializadas por uma broncopneumonia ou insuficiência respiratória, mas nunca descartando a hipótese de uma Coarctação da Aorta.

Coarctação da Aorta em Crianças e Adolescentes

Crianças e adolescentes entre os 6 aos 18 anos geralmente não apresentam sintomas.  Por isso é indispensável a procura de exames detalhados.

Coarctação em Adultos

Já na idade adulta é onde os sintomas da doença começam a aparecer. Veja abaixo os sintomas da doença.

Quais são os sintomas da Coarctação da Aorta?

Nos pacientes portadores da doença, cerca de 75% não sentem sintomas. 

Porém, a OMS (Organização Mundial da Saúde) destaca que a falta de ar, frequência cardíaca reduzida, incapacidade de se desenvolver, pele azulada por má circulação ou pressão alta,  são os grandes riscos da existência da Coarctação da Aorta. Sempre é aconselhável  procurar um médico em caso de dúvidas, pois, só um profissional poderá dar um diagnóstico preciso.

Em alguns dos casos, a doença pode ser assintomática e pelo fato de ser uma doença predominando no sexo masculino sobre o feminino, muitos pais não fazem acompanhamento médico em suas filhas, e isso é um erro.

O médico suspeita da presença de coarctação quando percebe um sopro cardíaco ou diferenças de pulso, ou pressão arterial entre os braços e as pernas ao realizar um exame físico.

Tratamento da Coarctação da Aorta

O tratamento da Coarctação da Aorta  é cirúrgico. Com angioplastia através de cateter balão, seu objetivo é aumentar o fluxo de sanguíneo das artérias para o coração. O procedimento consiste em inserir uma prótese no local dessa obstrução.  

Somente o médico avaliará se é necessário um tratamento por fisioterapia. Esse tratamento consiste em estimular a parte afetada pela doença. Em alguns dos casos o tratamento consiste na administração de medicamentos anti-hipertensivos.

Espero que tenha gostado deste artigo! Caso conheça alguém que precisa de mais informações sobre este assunto, compartilhe, pois, informações salvam vidas!

Caso você precise de ajuda, poderá contar com a minha orientação de forma próxima, didática e exclusiva. Solicite uma orientação sobre o seu caso, me explique em detalhes o que você está sentindo, seu histórico passado e perfil preenchendo o formulário desta página. Assim que enviar, irei receber um e-mail e entrarei em contato em breve 😉

Abraços,

Prof. Dr. Edmo

0 Shares:
Você pode curtir